Vida sem Ela

Era o fim do mundo. O apocalipse. O Ragnarok. A volta de Shiva Destruidor. Enfim, acho que já deu pra entender. Basicamente era a mais completa e definitiva extinção do Universo chamado Joe. Como poderia haver Joe sem Mia? Se ele agora descobria que ela tinha uma doença terminal, obrigatoriamente ele também a teria. Era impossível ser saudável sem ela. Ser feliz sem ela. Ser ele sem ela. A mera suposição que isto viesse a acontecer ofendia a um dos aos axiomas mais sólidos já criados pela racionalidade humana. Os dois eram uma soma cujo resultado sempre daria um um inteiro. Não é o caso de Joe sempre ter sido assim, sentimental, dependente, carente. Foi Mia quem despertou o seu potencial para ser o Joe da Mia. Por isso que, olhando a figura  pálida dentro do jaleco parada à sua frente, falando coisas que ele não conseguia ouvir, Joe só podia pensar que tudo aquilo não passava de uma piada vulgar e sem graça. Doença fatal e Mia nunca deveriam aparecer na mesma sentença. Ok, tudo bem ele ainda estar no vigor dos trinta e dois anos e ela ter mais que o dobro disso. Quase o triplo. Mas ela era o centro do seu mundinho chato. Era o seu ponto de desequilíbrio. Era a parte vida louca da vida monótona de Joe. Ao olhar fundo aqueles fundos olhos de corvo mensageiro, segurando o choro que ameaçava transbordar a qualquer instante, soube que teriam apenas mais seis meses juntos. Cento e oitenta dias. Quatro mil trezentas e vinte horas. Apesar de qualquer tempo ser pouco para se passar com quem se ama, ao se fixar um número os momentos que poderiam ser bons tornariam-se um cronômetro angustiante, sufocante, deprimente. Mas ele precisava ser forte. Por Mia. Quando a trouxeram, ela estava tão feliz, tão radiante que dissiparia qualquer nuvem escura no céu. Joe faria o objetivo de sua vida transformar os últimos dias de Mia nos melhores. A mimaria em excesso, faria todas as suas vontades e, assim, guardaria as recordações mais preciosas dela. Talvez o fim do mundo pudesse ser encarado com serenidade, afinal, pensou ao sair da clínica puxando a companheira pela coleira.


30 de Setembro - Dia Internacional do Tradutor


Livros Adquiridos - Agosto 2014

15 livros = -R$ 179,10

116. contos de horror do século xix - alberto manguel - cia das letras - troca - www.skoob.com.br (vendido)
117. o zohar - ariel bension - polar editorial - r$ 19,80 - www.skoob.com.br
118. o ponto de mutação - fritjof capra - cultrix - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
119. bestiário - julio cortázar - civilização brasileira - r$ 9,90 - www.skoob.com.br
120. tripulação de esqueletos - stephen king - suma de letras - presente de amiga
121. o livro da mitologia - thomas bulfinch - martin claret - r$ 10,60 - www.fnac.com.br
122. o livro da mitologia - thomas bulfinch - martin claret - r$ 10,60 - www.fnac.com.br
123. os irmãos karamázov - fiódor dostoiévski - martin claret - r$ 10,60 - www.fnac.com.br (vendido)
124. os irmãos karamázov - fiódor dostoiévski - martin claret - r$ 10,60 - www.fnac.com.br
125. crime e castigo - fiódor dostoiévski - martin claret - r$ 10,60 - www.fnac.com.br
126. crime e castigo - fiódor dostoiévski - martin claret - r$ 10,60 - www.fnac.com.br
127. a busca onírica por kadath - h. p. lovecraft - hedra - r$ 22,80 - www.hedra.com.br
128. o horror de dunwich - h. p. lovecraft - hedra - r$ 21,60 - www.hedra.com.br
129. a sombra vinda do tempo - h. p. lovecraft - hedra - r$ 21,60 - www.hedra.com.br
130. a torre negra 1: o pistoleiro - stephen king - suma de letras - r$ 9,90 - www.skoob.com.br (vendido)

Sandman: Entes Queridos, de Neil Gaiman


Sempre foi prerrogativa das crianças e dos estúpidos indicar que o imperador está nu. Mas o estúpido permanece estúpido e o imperador continua imperador. (120)

20 - referência à mitologia grega (perseu e medusa). as górgonas são três irmãs (medusa, a dominadora; euríale, a errante e esteno, a violenta) que simbolizam os inimigos interiores que devemos evitar. são deformações monstruosas da psique nascidas do desvirtuar de três pulsões humanas: sociabilidade (esteno), sexualidade (euríale) e espiritualidade (medusa). como a perversão espiritual prevalece sobre as outras, medusa é conhecida como rainha das górgonas. (456)

As Relações Perigosas, de Choderlos de Laclos


Poderá haver prazer com as pudicas? E refiro-me às de boa-fé: reservadas até no próprio prazer, não vos oferecem senão meios gozos. Esse inteiro abandono de si mesmo, esse delírio da volúpia em que o prazer se apura pelo excesso, esses bens do amor não o conhecem elas. (Carta IV)

A humanidade não é perfeita em nenhum gênero, tanto no mal quanto no bem. O celerado tem suas virtudes, como o homem de bem tem suas fraquezas. (Carta XXXII)

Se os primeiros amores parecem em geral os mais honestos e, como dizem, os mais puros, se são, pelo menos, mais lentos em sua marcha, não se trata, como se pensa de delicadeza ou timidez: é porque o coração, espantado com um sentimento desconhecido, pára, por assim dizer, a cada passo, para gozar o encanto que experimenta, e que esse encanto é tão forte num coração novo que o ocupa a ponto de fazê-lo esquecer qualquer outro prazer. (Carta LVII)

Livros Lidos - Agosto 2014


3 livros = 877 páginas

53. as pelejas de ojuara (1986) - nei leandro da costa - arx - 272 pgs - excelente
54. o homem do castelo alto (1962) - philip k. dick - brasiliense - 269 pgs - excelente
55. o livro do cemitério (2008) - neil gaiman - rocco - 336 pgs - bom

Ilíada, de Homero


O coração dos mancebos costuma ser sempre volúvel;
mas quando um velho intervém, o passado e o futuro perscruta,
para que tudo decorra do modo melhor para todos.
(Canto III, 108-110)

As gerações dos mortais assemelham-se às folhas das árvores,
que, umas, os ventos atiram no solo, sem vida; outras, brotam
na primavera, de novo, por toda a floresta viçosa.
Desaparecem ou nascem os homens da mesma maneira.
(Canto VI, 146-149)

O Homem do Castelo Alto, de Philip K. Dick


O Tao é aquilo que primeiro permite o claro e depois o escuro. É aquilo que leva à interprenetração de duas forças primitivas, de modo que há sempre renovação. É aquilo que impede que tudo se desgaste. O universo nunca se extinguirá porque no momento exato em que a escuridão parece ter sufocado tudo, ser realmente transcendental, as novas sementes de luz renascem das próprias profundezas. É este o Caminho. Quando a semente cai, penetra na terra, no solo. E lá embaixo, escondida, germina. (113)

Esses romancistas conhecem mil truques. Apelar para os mais baixos instintos que se escondem nas profundezas da alma humana por mais respeitáveis que as pessoas pareçam. Sim, o romancista conhece a humanidade, sabe como é desprezível, guiada por seus testículos, hesitante por covardia, traindo qualquer causa por cobiça - basta que toque o tambor e a resposta vem logo. E ele fica rindo, é claro, escondido, do efeito que produz. (135)

A verdade. Terrível como a morte. Só que mais difícil de encontrar. (269)

Livros Adquiridos - Julho 2014



10 livros = -R$ 454,90

106. o xamanismo e as técnicas arcaicas do êxtase - mircea eliade - martins fontes - r$ 127,16 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
107. a promessa - harlan coben - arx - troca - www.skoob.com.br (vendido)
108. duna - frank herbert - aleph - troca - www.skoob.com.br
109. nova antologia do conto russo (1792-1998) - bruno barretto gomide (org.) - editora 34 - presente
110. minha luta - adolf hitler - centauro - r$ 84,79 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
111. a história da feiura - umberto eco - record - r$ 111,31 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
112. a história da feiura - umberto eco - record - r$ 111,32 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
113. tratados da vida moderna - honoré de balzac - estação liberdade - troca - www.skoob.com.br
114. corra com os cavalos - eugene peterson - ultimato - r$ 20,32 - www.estantevirtual.com.br (vendido)
115. o cavaleiro dos sete reinos - george r. r. martin - leya - troca - www.skoob.com.br

As Pelejas de Ojuara, de Nei Leandro de Castro


Agora eu vou lhe dizer o que é feio para mim. Feio é o choro da mãe com leite pedrado no seio, diante do filho morto por um cruel, fero e feio. Feia é a quela sombra escura que vai levando consigo o covarde que traiu o seu mais bondoso amigo. Feia é a maldade do homem, a herança de Caim, praga de mãe ofendida, tentação do Coisa-Ruim. Feio é o belo que mata por nada, só por ser belo. Para uns, o roxo é lindo. Para outros é o amarelo. A beleza e a não-beleza estão juntas em toda parte. No sangue de uma ferida, na solidão de uma arte. O belo é visto em tudo, depende de quem o olha. Quem ama o sapo é a sapa, quem ama o solho é a solha. Olhe seu rosto no espelho, veja o belo, a esperança. Deus não é feio e nos criou à sua imagem e semelhança.

Veja também:
- Filme O Homem de Desafiou o Diabo